domingo, 17 de junho de 2007

The Ultimates (Os Supremos)

SuperSpider e Tudo Free Orgulhosamente Apresentam... Os Supremos Vol. 1 !!!

Os Supremos trata de uma espécie de super-grupo militar reunido pelo alto escalão do governo dos Estados Unidos para defender a população e controlar o avanço de uma série de perigos super-humanos que começaram a despontar neste Universo Ultimate. No comando da operação está a agência ultra-secreta S.H.I.E.L.D., na figura do sempre durão Coronel Nick Fury (que, no traço de Hitch, ficou a cara do Samuel L.Jackson de tapa-olho). Claro que se trata de um enorme esforço de relações públicas para impedir que o governo seja desmoralizado na crescente onda de super-terrorismo... Nesta nova divisão, cheia de subvenções federais e com um dos maiores orçamentos da história, Fury conta com a presença do cientista Hank Pym, um homem genial que, quando toma Prozac, fica elétrico e cheio de idéias. Um dos primeiros passos de Pym é testar em si mesmo uma variação da fórmula que foi aplicada em sua mulher, Janet Van Dyne - que atende pelo codinome de Vespa justamente porque ela encolhe até 20 polegadas!!! Em Pym, a fórmula faz o efeito inverso, permitindo que ele cresça até uma altura de 20 metros - eis que surge o Gigante. Também acaba sendo convocado um enorme nórdico que vinha fazendo sucesso nas manchetes da Europa. Auto-denominando-se Thor, ele pode ser um maluco com um martelo gigantesco e poderes para controlar o clima... ou então, como ele mesmo diz, um deus do trovão legitimamente viking, filho de Odin.

Outros dois membros da equipe merecem destaque especial porque Millar se ateve muito bem às suas aparições anteriores em Ultimate Marvel Team-Up ao lado do Homem-Aranha, mantendo uma linha cronológica impecável para o leitor que acompanha a linha como um todo. O primeiro é o Dr.Bruce Banner, um cientista genial e amarrotado, aquele típico nerd atrapalhado e sem nenhum tato social mas que, no entanto, é simplesmente brilhante. Todavia, ele causa tremores em qualquer um ao redor porque outrora ele tinha dentro de si uma criatura enorme e com poder de destruição ilimitado chamada... Hulk. Ele alega que sua outra personalidade está controlada por meio de um tratamento, mas, ainda assim... De qualquer forma, Banner se torna o encarregado da equipe que vai tentar desvendar o tal soro do super-soldado, antigo projeto governamental que deu origem ao falecido Capitão América. Falecido? Ora, vamos esperar um pouco antes de afirmar isso...

Congelado no mar desde os anos 40 em uma espécie de animação suspensa da mesma forma que o Capitão da cronologia comum, este Steve Rogers é um tipo muito mais militar e menos cavalheiresco do que aquele que conhecemos por meio de Stan Lee e cia. Ele conheceu o pior da guerra e prefere resolver as coisas com os punhos, como um bom soldado faria. Aliás, este supersoldado é um tipo um tanto rude, bronco, meio que um caipira do interior dos Estados Unidos que gosta das coisas simples e sem frescuras. Outro detalhe é que Millar preferiu seguir a abordagem pós-11 de setembro que John Ney-Rieber impôs ao personagem na cronologia comum, tornando-o um herói menos inocente e ufanista e abandonando de vez o patriotismo cego que muitas vezes tornava as aventuras do sujeito uma espécie de material panfletário do governo dos EUA.
A melhor coisa nas aventuras dos Supremos é perceber que Millar aprendeu a lidar com o humor e preencheu seus personagens com deliciosas tiradas sarcásticas e humanas, daquelas que qualquer um de nós poderia fazer num encontro de amigos ou reunião de família - e sim, o cotidiano destes heróis é mostrado de maneira tão sutil que não se torna algo forçado, ajudando a vê-los e defini-los de uma maneira que vai além da bi-dimensionalidade que vejo, por exemplo, em 'Ultimate X-Men'.

Por último, não poderia deixar de destacar o elemento mais interessante do título: o Homem-de-Ferro. Nunca fui dos maiores fãs do Vingador Dourado, nem em seu título solo e muito menos ao lado dos Vingadores, justamente porque sempre achei todo o conceito muito difícil de engolir: diabos, foi ele quem desenvolveu toda a tecnologia da armadura do Ferroso e vestiu o tal traje pela primeira vez justamente para salvar a sua própria vida. Como acreditar, com tantas evidências em contrário, que o Homem-de-Ferro não é ele mesmo, e sim um mero mané que serve de guarda-costas? Fala sério! O que Millar fez foi seguir o conceito lançado por Brian Michael-Bendis no encontro do herói com o Homem-Aranha, em sua primeira aparição no Universo Ultimate (pensaram que eu ia esquecer, né?). Embora um homem genial, Tony Stark não é conhecido por sua faceta de cientista e sim pela de empresário multi-milionário. Excêntrico e aventureiro, ele é um dos personagens mais divertidos de toda a trama justamente por sua aparente frivolidade. Homem sem papas na língua, ele é um executivo de táticas comerciais agressivas e que encara qualquer homem de negócios (até o Bill Gates) numa reunião sem nenhum problema. Todavia, ele é daquele tipo para quem nenhum dinheiro no mundo compra uma boa dose de adrenalina. Então, toda a opinião pública sabe que ele é o homem por trás da armadura do Homem-de-Ferro. E é exatamente por isso que ele quer fazer parte dos Supremos: é a oportunidade ideal para viver algumas aventuras, enquanto confere a este projeto do governo a legitimidade necessária - afinal, além de dono de uma das maiores empresas do país, Stark é figurinha carimbada nas colunas sociais. Todos querem saber de sua vida!

Além das histórias do Homem-Aranha versão Ultimate, as aventuras dos Supremos tornaram-se outro motivo pelo qual Marvel Millenium é a minha revista de super-heróis favorita no mercado nacional. E ponto final.

Nenhum comentário: