sexta-feira, 6 de julho de 2007

Batman - Queda do Morcego (Fase 01 Knightfall)



Em agosto de 1994 chegava às bancas o primeiro número de Liga da Justiça e , revista cuja atração principal parecia ser as histórias do Homem-Morcego, que estava prestes a passar por um dos momentos mais traumáticos de sua carreira.

Ao surgir em 1939, o principal atrativo de Batman era o fato dele, diferente do seu colega Superman, não possuir superpoderes e ser nativo deste planeta. Isto fez com que o personagem ganhasse de imediato a simpatia do público, que se identificava mais com ele do que com o kriptoniano. Com a exigência dos leitores aumentando com o passar do tempo, tornou-se necessário mostrar nas histórias do Morcego os efeitos de noites de sono perdidas e as várias cicatrizes físicas, emocionais e psicológicas resultantes das inúmeras lutas contra os psicóticos que insistiam em perturbar a sombria e violentíssima Gotham City.

Em sua obsessão quase desmedida, Bruce Wayne sempre negava ao seu corpo e mente o descanso necessário a um homem normal, até o dia em que todo este abuso cobrou o seu preço com altíssimos juros.

A megassaga A Queda do Morcego (Knightfall) estreou no número 1 da revista citada acima. A partir desta edição, que meio que prologava o que se desenrolaria por longos meses, veríamos o maior detetive do mundo mergulhando nas trevas do cansaço físico e mental.

A estafa estava tomando conta deste até então incansável combatente do crime e nada seria como antes em suas histórias.

Batman sentia fortes sinais de estafa, ainda mais acentuada pela redução do efetivo policial de Gotham City, o que resultou na alta dos índices de criminalidade de uma cidade que já tem uma inclinação natural para a violência.

Dando ainda mais de si, Batman estava mais ou menos conseguindo conter a criminalidade.

O personagem seria então vítima de um plano meticulosamente planejado por aquele que viria (ou que deveria) a ser um dos mais perigosos da sua galeria de vilões. Um homem inteligentíssimo que, ao perceber que não poderia enfrentar um herói que ainda demonstrava ter incrível força de vontade, procurou fazer com que o Homem-Morcego abusasse ainda mais de si mesmo.

Observou seu oponente cair em desgraça enquanto procurava a melhor forma e esperava o melhor momento para dar cabo dele definitivamente.

Para tanto, destruiu o Asilo Arkham libertando todos os perigosíssimos psicóticos confinados no manicômio, o que serviria para esgotar ainda mais o Cavaleiro das Trevas e distrair a sua atenção, uma vez que, ocupado em restabelecer a ordem em Gotham, ele não perceberia o que de fato estava acontecendo.

Com o caos reinando, era apenas uma questão de tempo para que Batman fosse subjugado definitivamente por Bane, o homem que estava prestes a liquidar o guardião da cidade das trevas.

Bane nasceu e cresceu dentro da ilha-prisão de uma republiqueta caribenha chamada Santa Prisca.

Tornou-se um autodidata temido e respeitado dentro do cárcere.

Por desafiar o diretor do presídio, foi escolhido para ser cobaia no experimento do anabolizante Veneno, criado com o intuito de produzir um exército de super-homens. Contrariando as expectativas, Bane sobreviveu ao teste e conseguiu escapar da ilha.

Orientado por um amigo, ele viajou para Gotham intencionado a dominar o submundo da cidade.

Para tanto, primeiro precisaria dar o golpe final em um Cavaleiro das Trevas, fatigado por anos de combate ao crime.

Nas edições de LJA e Batman que se seguiram, vimos o manto do Morcego pesando cada vez mais nos ombros de Bruce Wayne, dando-nos a idéia de que a carga de toda aquela parafernália tecnológica (Não. Nas HQs a coisa é bem mais séria, sem espaço para o clima do seriado dos anos 60) se tornava cada vez mais insustentável a cada capítulo da história. Vimos a decadência estampada no rosto de um homem obcecado que se esforçava muitíssimo para ficar de pé em sua obstinação.

Batman se arrastava pelos quadros da história à medida que os vilões perturbavam ainda mais Gotham.

Temendo o pior, Batman tratou de incubir Tim Drake, o terceiro a assumir o manto de Robin, para treinar o jovem Jean-Paul Valley para tomar conta da cidade caso fosse necessário.

É na edição n° 1 do extinto formatinho Batman, publicado pela Editora Abril em março de 1995, que acontece o clímax da saga.

Logo no início, vemos Robin não ser assassinado por Bane por pouco.

Nas 130 páginas seguintes, vemos o Homem-Morcego no limite da exaustão enfrentando uma ameaça após outra até encontrar e enfrentar, já sem forças, um inimigo no auge de sua forma física se valendo da droga que aumentava ainda mais a sua força.

As últimas 22 páginas da revista apresentam o dramático embate entre um herói visivelmente abatido e um vilão que esperou pacientemente até o melhor momento para destruir o seu oponente.

A história culmina com um dos momentos mais chocantes da carreira do personagem: Bane aleija Batman quebrando a sua coluna com um último golpe.

Na edição 9 de ">Liga da Justiça e Batman, Bane proclama-se dono de Gotham exibindo o corpo do seu guardião como um troféu do alto de um edifício.

Daí ele joga o corpo semi-morto de Batman na rua na presença da imprensa, da polícia e da população gothamita, fazendo valer a sua declaração.

Este arco foi escrito por Chuck Dixon e Doug Moench, desenhado por Jim Aparo, Grahan Nolan e Jim Balent e arte-finalizado por Scott Hanna, Tom Mandrake, Bob Wiacek, Joe Rubinstein e Dick Giordano.

Pois bem.

A Queda do Morcego é uma das sagas mais marcantes do Cavaleiro das Trevas por dois motivos: foi ótima do seu início em LJA e Batman nº 1 até o seu clímax na edição 9 da mesma revista.

A Queda do Morcego foi lançada simultaneamente a outros eventos que mudaram a vida de alguns dos maiores personagens das HQs de heróis de maneira tão radical que chamou a atenção da mídia não-especializada no assunto. Lembro que o programa dominical Fantástico apresentou uma matéria cujo título perguntava “O que está acontecendo com os nossos heróis?" (ou algo mais ou menos assim). Um novo Batman surgia ao mesmo tempo em que o Superman era morto e o Homem-Aranha adquiria poderes cósmicos. Pouco depois dessa época que Hal Jordan enlouqueceu, Wolverine viria a perder o Adamantium, Hulk ficava inteligente e por aih vai...


Um vilão dessa envergadura merecia no cinema um tratamento completamente diferente do que foi visto no infame Batman e Robin, de Joel Schumacher, afinal, Bane foi o homem que conseguiu aleijar o Cavaleiro das Trevas.

Mas longe de ser o mesmo personagem das HQs, Bane foi descaracterizado no cinema de tal forma que mal sabia grunhir (aliás, nada prestava naquele filme mesmo, então deixa pra lá...).
Ficou óbvio que Schumacher especializou-se em descaracterizar completamente os personagens do Bat-universo.




O que importa é que apartir deste post a equipe do Tudo Free inicia este novo Projeto.
A Queda do Morcego!
A Megasaga do Cavaleiro das Trevas, divida em 4 fases.
E pra começar segue aih a Primeira Fase Completa, qual possui justamente o nome de Queda do Morcego (Knightfall).

Aproveitem.


Veja também: Batman: Ano Três
Veja também: A morte de Robin
Veja também: Batman: A Piada Mortal
Veja também: Batman: Ano Um

5 comentários:

gabriel disse...

awe cara blz... então, seu blog é massa, um axado realmente....

mas vamos ao que interessa, a parte 3 da fase um da queda do morcego não tá querendo fazer o download. qndo passa os 20 segundos de espera do easyshare a página simplismente de download simplismente fica em branco qndo vc puder dar uma olhada nisso eu fico grato... vlw

abraço!

gabriel disse...

awe cara blz... então, seu blog é massa, um axado realmente....

mas vamos ao que interessa, a parte 3 da fase um da queda do morcego não tá querendo fazer o download. qndo passa os 20 segundos de espera do easyshare a página simplismente de download simplismente fica em branco qndo vc puder dar uma olhada nisso eu fico grato... vlw

abraço!

Rogério disse...

Parte 3 corrompida

Rogério disse...

Parte 4 também corrompida, favor concertar.

JotaSG disse...

Part 3 e 4 com problemas! Urgente! Obrigado.