quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Prelúdio para a Aniquilação: Drax, o Destruidor

Drax, The Destroyer #01 PRELÚDIO PARA A


Drax, The Destroyer #01, #02, #03 & #04

Argumento: Keith Giffen
Arte: Mitch Breitweiser
Cores: Brian Reber

Uma espaçonave transportando criminosos condenados à morte cai em uma pequena cidade do Alasca, trazendo terror aos seus habitantes e uma oportunidade para uma garota chamada Cammi. Mais do que isso, traz um novo começo a vida do flagelo de Thanos: Drax, o Destruidor!

Drax, The Destroyer #02

Como diz o título da edição, essa história serve como uma prévia da nova saga cósmica da editora: Aniquilação. Em breve falarei mais sobre essa saga, mas primeiro... Quem é Drax?

Arthur Douglas foi uma vítima dos caprichos de Thanos, o Titã Louco. Compadecido de sua morte e necessitando de armas para combater Thanos, Mentor, líder dos Titãs e pai de Thanos, salvou a filha de Arthur, Heather, que viria a ser conhecida como Serpente da Lua. Com a ajuda de Kronos, o Deus Titã do Tempo, criou um corpo para o espírito desencarnado do terráqueo, criando o ser que viria a ser chamado de Destruidor.

Ele figurou muitas aventuras ao lado do Capitão Mar-Vell, mas é mais conhecido por sua atuação junto a Guarda do Infinito de Adam Warlock. Nessa fase, Drax havia renascido fisicamente mais poderoso (No nível de Hulk e Thor), mas limitado intelectualmente. Sua última aparição havia sido no Pocket Panini da Mulher-Hulk.

Drax, The Destroyer #03

Keith Giffen, apesar de famoso pela veia cômica de seu trabalho a frente da LJI, já é um experiente narrador de sagas espaciais, tendo criado a L.E.G.I.Ã.O. e Lobo, o Maioral. Ele usa dessa experiência para trazer Drax de volta às suas origens; ao invés de um “Hulk espacial”, temos uma verdadeira máquina de matar, fazendo jus ao nome “Destruidor”.

Boa parte da graça da história se dá através das diversas posturas dos outros prisioneiros alienígenas que caem na Terra. O cruel Lunatik (De onde saiu esse cara?) demonstra um prudente receio de permanecer no planeta, famoso por seus super-heróis; Os Irmãos Sangue, verdadeiros estereótipos de capangas, e sua dificuldade para pensar sem os punhos; e Paibok, o Skrull Poderoso, mostrando toda a versatilidade de um alto comandante skrull (Digo e repito: Skrulls tão na moda!). No lado humano da história, o pavor dos habitantes e a atuação da jovem Cammi são um show a parte.

Drax, The Destroyer #04

Claro que nem tudo são flores, o roteiro tem lá seus buracos: Uma nave alienígena cair na Terra e a SHIELD não mover uma palha é no mínimo estranho; E Drax se valendo de poderosas facas Ginsu para combater os alienígenas é beeem forçado...

Mas ficou legal, quem se importa com esses detalhes técnicos?

Eu não conhecia o trabalho do artista Mitch Breitweiser, mas ele me deixou extremamente satisfeito. Espero ver mais atuações suas no resto da Aniquilação. Pra quem quer uma boa história e leitura sem compromisso, essa edição é uma boa pedida.

Nenhum comentário: