terça-feira, 22 de abril de 2008

Motoqueiro Fantasma - Volume 5 - 01 à 05

O Motoqueiro Fantasma tenta continuamente escapar do Inferno, mas sempre é enganado por Lúcifer, que se diverte com suas tentativas, até que um inesperado ser das profundezas promete liberdade ao Espírito da Vingança.

Só posso acreditar que Daniel Way andou lendo minhas críticas a sua pessoa e resolveu me sacanear, pois seu trabalho em Motoqueiro Fantasma começa de forma muito simpática. Muito devido a displicência com que conduz a história, apesar do final confuso em dizer como a personagem escapa do Inferno, mas acredito que a diante teremos respostas.

Outro elemento que se soma de forma positiva é a economia em diálogos e na narração. Tudo é muito sucinto e direto, sem enrolações, tornando a história leve e ágil, além de - é claro - permitir que a arte tenha um papel fundamental.

E foi a arte que me fez achar essa experiência com o texto de Way não tão traumática. A última vez que me lembro de ter gostado tanto de um desenhista desconhecido logo de cara foi com Adam Polina. Javier tem personalidade, uma constante angulação de seus quadros que não caem numa mesmice e uma proporção elegante em seus elementos. Além disso, ainda fez referência ao Diabão do filme A Lenda (de Ridley Scott dos idos de 1985, quando Tom Cruise ainda era um nobody)





Nenhum comentário: