domingo, 6 de abril de 2008

NEW X-MEN de Grant Morrison - Parte 1

Os X-MEN tiveram muito em baixa no final dos anos 90, tendo entre histórias e sagas péssimas (Massacre e a Saga dos 12) e algumas até que medianas (essas escritas por Joe Kelly). Após essa fase baixa dos X-MEN no final dos anos 90, a Marvel trouxe o maior roteirista de todos os tempos de X-MEN, o famoso Chris Claremont que foi o autor que fez X-MEN ser uma das revistas mais famosas da editora isso nos anos 80, criando várias sagas como famosas como A Saga da Fênix, Dias de um Futuro Esquecido, Massacre de Mutantes e Inferno.

Com essa volta o que se esperava era bons roteiros e momentos nostálgicos para as hqs dos X-MEN. O mas o pior aconteceu, Claremont não se mostra mais um grande escritor, mostrando histórias fracas e algumas meio que sofríveis. A Marvel em 2001 andava em baixa nessa época, mas foi quando Joe Quesada assumiu como editor-chefe da editora e promoveu um grande mexe-mexe em vários títulos. Aí veio uma das grandes contratações, e justo para uma das revistas carro chefe da editora, X-MEN. Quesada contratou nada menos que Grant Morrison, escritor famoso por ter escritos vários títulos na DC Comics entre eles alguns clássicos como Homem-Animal, Asilo Arkham e a Liga da Justiça.

Grant Morrison recebeu os X-MEN com poucos personagens e alguns acontecimentos fracos acontecidos nás últimas edições, pois Colossus havia morrido para que a cura do Vírus Legado se espalhasse por todo planeta, Magneto havia se ferrido gravimente depois de outra envestida contra os X-MEN sem sucesso onde Wolverine atravessou suas garras e fez o ditador ficar quietinho em Genosha, e ainda tinha a volta de Ciclope, já que ele passou quase um ano junto ao corpo de Apocalipse numa fusão ocorrida no final da Saga dos Doze que o onde deixou estranho, um pouco frio e calculista.

Para isso Joe Quesada contratou um desenhista de peso para o arco inicial de Grant Morrison nos X-MEN, esse desenhista se chama Frank Quitely que ná época vinha tinha sido muito elogiado por sua passagem pela série Authority.

O primeiro arco de três edições chamado E de Extinção foi um sucesso de crítica, fazendo com que muitos leitores conhecessem a ótima arte de Quitely e mostrando que Grant Morrison era um bom escritor que poderia revitalizar os mutantes. Já de inicial ele fez com que os mutantes parassem de usar os famosos colants e deixou o tom mais sério nas histórias. Grant Morrison começou nos roteiros de X-MEN 114 e teve sua despedida na edição 154. A revista deixou de se chamar X-MEN para NEW X-MEN, pois Morrison havia feito muitas mudanças nos personagens e na temática, deixando muitos fãs felizes e alguns fãs ortodóxicos com raiva.

Finalizando, a passagem de Grant Morrison por X-MEN foi muito positiva, tem ótimos arcos e alguns fracos. A fase do Grant Morrison foi totalmente mudada após a sua saida, com a volta dos colants. Mas teve uma certa continuação da saga do Morrison em Astonishing X-MEN, escrito por Joss Whendon, já públicado aqui no blog.


3 comentários:

Luis Henrique disse...

Olá Superspider, X-men 117 é o primeiro "New X-men"?

Valeu!

Léo disse...

Caramba!
eu lei x-men desde 86, e tinha acompanhado tudo deles até me casar a sete anos atrás.
depois troquei as hq´s pelas fraldas, pq os dois num dava pra comprar.
fiquei em off até o ano passado quando meu professor da faculdade me apresentou aos SCANS.
e dai pude colocar minha vida devolta em dia após minha pausa.
começei lendo muitos blogs de respeito, mas o tudo free é de longe o melhor!
parabéns galera! continuem com o o]ótimo trabalho.

FábioMacieira disse...

o link do 117 ta quebradi ou deleted se preferi, por fovor re up